Chico Xavier, 100 anos.


Texto escrito pela minha prima Ana Gusmão, pelo centenário de Chico Xavier....







Esse mês é marcado pela comemoração do centenário de nascimento do médium Chico Xavier. Sua personalidade tornou-se uma exceção no mundo atual, pela mediunidade praticada, enriquecendo a sensibilidade e o conhecimento dos homens com mais de 400 obras, psicografadas com conteúdo religioso, ético-moral e cientifico provindas de espíritos reconhecidamente superiores.

Nascido no interior de Minas Gerais, na cidade de Pedro Leopoldo, em 02 de Abril de 1910, completaria 100 anos, coincidência ou não, na sexta-feira Santa.

Chico gostava de se definir como uma “tomada entre dois mundos”, o “carteiro do além”, ano a ano, mês a mês ele se debruçava sobre as páginas em branco, de olhos fechados, passando para o papel as mensagens dos mortos para suas famílias.

Chico utilizava seus dons mediúnicos para psicografar livros e cartas, que davam conforto a pessoas inconformadas com a morte de entes queridos e para passar mensagens que eram de extrema importância para a doutrina cristã-espírita.

Consolando muitas mães e pais, na ausência física de seus filhos imposta pelo desencarne, na dor “que não tem nome” por muitas vezes causas de uma profunda depressão. Mostrando que a morte nada mais é do que a ponte luminosa entre dois planos que se interligam.

A comemoração do centenário de nascimento do médium foi realizada com o lançamento do filme, “Chico Xavier” dirigido por Daniel Filho, a partir da biografia de Marcel Souto Maior, na própria sexta-feira Santa, com sessões esgotadas, onde em três dias de exibição já tinha sido visto por mais de 570 mil espectadores, estando em cartaz em 377 salas do país.

O filme não tem como objetivo a doutrinação espírita, foi feito para ser visto por todos que gostam de uma belíssima história de vida, sendo uma cinebiografia de uma das personagens mais conhecidas e queridas dos brasileiros, respeitado tanto pelos espíritas, católicos quanto pelos céticos.

Vamos prestigiar o filme e com certeza ao sair do cinema, teremos um pensamento reflexivo, sobre a opção de colocar o amor, o respeito e a tolerância acima de qualquer crença, afinal de contas, o exemplo de amor, de simplicidade e de abnegação, vivenciados por Chico, nos faz acreditar num mundo bem melhor.

Ana Gusmão

4 Comentários:

BLoG do CHARQuE disse...

O filme naum ebom nem ruim e MEDIUM!!!


HUAUAUHAUHA

sem graça né?


http://blogdocharque.blogspot.com/
O Melhor e + Arretado Blog do ... Meu Bairro!!!!!! =D

@maah_alcantara disse...

seguindo aqui, segue lá ;)
http://www.cabanadamaejoana.blogspot.com

@maah_alcantara disse...

mal espero pra ver o filme ! admiro muuito ele, sem explicações. estou mudando todos meus conceitos com os livros dele. *-*

Yordan Cavalcanti disse...

rapaz
ta aí um grande homem que morreu seguindo o que acreditava
,,,
alias, fez com que milhões acreditassem também

/
 
© 2009 | As 4 estações. | Por